Camila Uckermann, a mulher superdotada

Camila nasceu em no município de Formiga, no Estado de Minas Gerais, no dia 17 de maio de 1886. Época em que não havia energia elétrica, nem telefone. Filha de americanos, que imigraram em 1880, em busca de emprego em Minas, Camila era uma menina isolada, mas que escondia uma inteligência totalmente fora do comum.

Ela começou a falar com 2 anos, teve dificuldade de se amamentar, repetia palavras e frases, tinha crises de ansiedades, era hiperativa, tinha hipersensibilidade auditiva e tátil, não gostava de ser abraçada e muito menos brincava com outras crianças da mesma idade.

Seus pais não toleraram o comportamento de Camila e a encaminhou a um orfanato, onde se descobriu. A diretora do orfanato a observava de longe e havia um piano em sua sala. Impressionada e espantada, a diretora do orfanato descobriu que ela tocava praticamente sozinha, perfeitamente melhor do que vários adultos especializados juntos. Só que quando as crises de ansiedade apareciam, a diretora teve que suportar as aflições da menina. Ela era muito ansiosa e estava sempre em alerta. Houve uma época em que Camila se traumatizou com o latido de um cão e com os gritos dos colegas durante as aulas no colégio interno, onde morava.

Além de aprender a tocar piano, ela fazia cálculos complexos, logo aos 11 anos.

Cossenos e tangentes eram matérias prediletas de Camila, que vivia isolada de seus colegas por conta disso.

Camila vivia falando desses assuntos por dias, todos fugiam de Camila e não deram a atenção devida.

No ano de 1900, Camila já tinha o mesmo nível de conhecimento de especialistas, mesmo estando estudando com adolescentes e sendo informada com matérias aquém da sua capacidade. A hipersensibilidade auditiva a atrapalhava a sua socialização, até porque várias pessoas viviam falando ao mesmo tempo e ela se perdia diante de tantos estímulos.

Aos 24 anos, Camila partiu para Hollywood, onde conheceu Kevin Cooper, o neurocirurgião responsável por atender portadores de doenças crônicas neurais. Kevin e Camila se casaram e foram morar em Lisboa Portugal, rumo a Porto.

Camila revelou seus talentos aos portugueses, que a reconheceram como superdotada, uma mulher prodígio. Ao decorrer desta história, nasceu Maria de Fátima Cooper Uckermann, que ao conviver com os pais, aprendeu a falar dois idiomas, o português de Portugal e o inglês americano.

Aos 60 anos, Camila volta para o Brasil, onde foi recebida pelos seus irmãos, que nos quais não a conheceram.

Camila vai ao mesmo lugar onde foi criada e perguntou a origem desses senhores e quem são os pais.

Camila se surpreende ao descobrir os irmãos, que já estão de cabelos grisalhos e que não se conhecia desde o dia em que foi levada ao orfanato.

Camila não realizou o seu maior sonho, porém se contentou ao conhecer seus irmãos, sobrinhos, ao ver os filhos crescerem, os netos e finalmente os bisnetos.

Camila viveu até aos 96 anos, até lá conheceu a energia elétrica, o rádio, a televisão e até o telefone. Dona Camila foi um grande exemplo para a sociedade, faleceu deixando o legado a seus bisnetos.

Leonardo Ricardo