JUCA, O INCRÍVEL

jucaca

Juca era um rapaz negro que estudou sempre em escola pública, no município de Doce Horizonte e que tinha um gênio forte, estudioso, influente e inteligente. A personalidade marcante do aluno perturbava os colegas. Tinha amigos, porém repetia os assuntos de seu interesse, construía robôs, era fera em matemática, literatura, artes visuais e biologia.

Sofria preconceito por ser “negro” e completamente diferente dos garotos de sua idade, o que mais irritava a maioria de seus colegas que foram criados por pais preconceituosos e por isso, sempre subestimavam a sua inteligência. Só que eles não sabiam que Juca iria mais longe que eles esperavam, concluir os seus estudos no melhor colégio do mundo.

Certo dia, Juca estava com seus amigos, como sempre, quando de repente conheceu Breno, um rapaz rico que sonhava acabar com o preconceito. Ainda sem conhecer Juca, Breno observou a ida e a volta dele ao trabalho, antes de ir ao colégio. Então Breno decidiu conversar com Juca acerca de um trabalho sobre a inclusão de pessoas de todas as raças e etnias em melhores escolas e no mercado de trabalho. Breno percebeu que Juca se enquadrava como exemplo e tomou a atitude de conversou com seus pais acerca disso.

O pai autorizou o filho a trazer Juca e conhecer a vida do rapaz. Juca, inocentemente, não sabia o que ele iria enfrentar na mansão de Breno, achando que por ser de origem humilde, iria ser mal atendido. O pai de Breno ao olhar para Juca  sentiu-se sensibilizado com a situação e decidiu conhecer a sua família para iniciar uma conversa séria sobre o destino do menino.

Quando Breno e sua família foram à casa de Juca as reações da família dele, inicialmente, foi bem nítida, pensaram eles ser uma encrenca séria com os garotos da elite. Após um diálogo, eles se surpreenderam com as propostas dos pais de Breno.

Breno era filho do diretor do colégio particular que se localizava em Doce Horizonte, a escola era referência mundial, um dos mais caros do Brasil. O pai de Breno ofereceu uma bolsa de estudos a Juca e pediram que fizesse uma avaliação para saber até que ponto era capaz de chegar.

Juca ao comparecer ao colégio de Breno percebeu que a prova era bem mais difícil que imaginava, porém, seus conhecimentos eram suficientes para mudar o jogo. Enquanto isso, na escola pública, os colegas de Juca tinham o pressentimento de que algo estava para acontecer com ele. Mas a suspeita ainda não era tão significante antes da descoberta. Juca entregou as provas para o seu futuro professor, que havia cursado doutorado em física.

A prova era difícil, porém Juca ficou na expectativa. O professor precisou de dez dias para divulgar o resultado, enquanto isso, Juca ficou em silêncio e prosseguiu a sua rotina no colégio. Ao sair o resultado da avaliação, como Juca era menor de idade, os pais precisaram comparecer à escola nova.

Quando Breno, Juca e suas famílias se encontraram, o professor surpreendeu-se com a inteligência dele e foi eleito o melhor aluno aprovado em prova profissional da história. Sua  aprovação surpreendeu até mesmo os especialistas e quem não gostava dele. A surpresa foi tão polêmica que os seus colegas ficaram chocados com a sua aprovação. E  Juca disse que era só o começo, ainda pretendia ser o futuro presidente do grêmio estudantil.

Juca entrou pela primeira vez no colégio particular. Com o andamento das aulas percebeu que a carga horária era um pouco maior, porém não o impediu de estudar. Breno e Juca estudavam na mesma sala e os laços de amizade ficaram ainda mais fortes. Juca ainda teve saudade dos seus ex-colegas, porém decidiu matar as saudades no final de semana ao mandar cartas para eles. Apesar de Juca ser o primeiro aluno negro naquele colégio, seus novos colegas praticavam racismo, exceto Breno.  Breno e Juca começaram a fazer o trabalho juntos. O tema era inclusão de pessoas de todas de todas as etnias em melhores colégios e no mercado de trabalho. O trabalho começou a ser desenvolvido e só foi concluído dois meses depois. Juca ao conhecer a nova escola e novos professores durantes seus primeiros dias de aula, mesmo sofrendo preconceito e injúria racial, dizia sempre que não iria desistir.

Os pais de Juca ficaram finalmente admirados com o filho e ainda disseram que estava valendo a pena confiar na família de Breno, pois graças a eles o filho havia se tornado uma referência e ainda faria a diferença no colégio. Mas os pais de Juca ainda não tinham visto nada do que iria acontecer, mesmo incentivando o filho a não ligar ao preconceito que passava, pois o ditado não falhava “os humilhados serão exaltados”. Juca começou a fazer novas amizades e ajudar Breno em seus trabalhos de robótica. Seus novos colegas diziam sempre que ele não iria muito longe. Só que nem todos concordavam com a opinião do grupo que reunia sempre para subestimar Juca. Logo, não demorou muito tempo para Juca se candidatar à Presidência do Grêmio ao lado de Breno, que seria o vice em sua chapa. A concorrência era de influentes em outras salas e aos olhos de muita gente, seria  impossível Juca vencer.

Enquanto Juca e Breno começavam a ensaiar os discursos, os colegas os chamavam de loucos e insistiam que Juca iria perder logo de cara, não passava de zero voto. Mas Juca, mesmo percebendo que existiam muitas barreiras, ficou firme, porém ao mesmo tempo temia o pior. A turma mais elitizada do colégio começou a fazer o seu discurso, Juca e Breno conversavam entre si temendo o pior. Tudo era mais difícil que imaginava, porém Juca  lembrou-se da prova e confortou o amigo. Dizia que estava lá graças a ele.

Juca estudou as melhores propostas e decidiu ser o mais original possível. Os discursos ficaram cada vez mais interessantes e a disputa entre as chapas ficou acirrada. Juca perdeu no primeiro turno, bem típico para a época, porém como houve o segundo turno, Juca ainda teve chance. Os colegas diziam para Juca desistir, porém permaneceu firme e continuou a luta. O resultado do segundo turno chocou a concorrência e surpreendeu o pai de Breno. Houve uma repercussão como nunca e Juca e Breno derrotaram Gutierrez!

Juca foi eleito presidente do grêmio estudantil, o primeiro aluno negro a vencer a disputa na história do colégio, os pais de Breno e Juca choraram e finalmente o grupo de elite comemorou. Até a escola onde Juca estudava ficou completamente abismada, dizendo: “Como é que pode? Logo o Juca?”.

Sabendo os ex-colegas que Juca havia disputado algo tão impossível na melhor escola do mundo e vendo a sua vitória começaram a reconhecer seu mérito. Juca agradeceu a Breno por tudo o que tinha acontecido e Breno também o agradeceu por vencer a disputa junto com o colega. Disseram: “Agora sim, vamos acabar com o preconceito de uma vez por todas!”

Juca iniciou seu trabalho na escola, enquanto o trabalho foi sendo desenvolvido, seus ex-colegas passaram a visitá-lo sempre para acompanhar o seu trabalho. E seu  belo exemplo de luta deixou o legado em sua formatura.

O discurso do diretor da escola e pai de um dos meninos da chapa do grêmio emocionou todo o colégio. “Juca foi o melhor presidente do grêmio da história desse colégio. Trabalho aqui há 15 anos e a determinação desse rapaz no fez refletir sobre o preconceito. Em primeiro lugar Juca passou por uma prova muito difícil e foi selecionado em primeiro lugar, em segundo lugar, Juca se candidatou à presidência do grêmio, perdeu no primeiro turno e surpreendeu Gutierrez no segundo. Venceu a disputa complicadíssima, graças a sua determinação. Parabéns Juca!”

E assim Juca completou a maioridade e hoje é o representante de um movimento ativista contra o racismo e o preconceito!

 

Leonardo Ricardo

10602760_800769779973644_294558687_n