A TECNOLOGIA NAS MÃOS DAS CRIANÇAS

A TECNOLOGIA NAS MÃOS DAS CRIANÇAS

 

Atualmente, muitas crianças deixaram de brincar, para utilizarem equipamentos eletrônicos, como, smartphones e tablets, a maioria delas é focada em jogos pesados, ou até mesmo aplicativos educativos e atraentes.

Na minha infância, os celulares possuíam poucos recursos, não iam além de mandar SMS, ou simplesmente ligar ou receber ligações, tinham acesso à internet, porém, de baixa qualidade.

Hoje em dia, os celulares estão aos poucos se tornando computadores portáteis, que podem ser conectados via Wi-fi, 3 ou 4G, possuem memória interna, podendo chegar até 128GB, como é o caso do Iphone 6, atual top de linha da Apple.

Mas o que esta tecnologia tem ajudado ou atrapalhado as crianças? Se elas usam muito o smartphone para jogar, ou navegar em redes sociais, pode atrapalhar o contato social. Além disso, pode influenciar em falta de sono, as crianças que usam muito o smartphone podem dormir menos segundo pesquisas.

Por um tablet ser maior do que o smartphone, com esse gadget não é diferente, contudo os pais devem ficar atentos com o uso excessivo destes equipamentos.

O que mais pode atrair as crianças de hoje são os jogos e aplicativos educativos, que pode ser bom para melhorar o aprendizado, se usados moderadamente, porém tenham muito cuidado com jogos viciantes, pois elas podem ficar por cerca de 10 horas jogando, dependendo do tamanho do gadget e de quantas horas precisam para drenar a bateria por completo.

Outra coisa importante para escrever para os leitores interessados nesse assunto, a criança que usa muito o gadget, seja ele smartphone ou tablet, o foco excessivo em jogos podem atrapalhar até mesmo na hora do almoço ou na hora do jantar, pois o foco está naqueles aplicativos.

Os pais devem lembrar-se que nas suas infância não existiam tablets, talvez já tivessem celulares antigos, mas não eram usados para internet.

Antigamente celular era coisa de adulto, certo? Hoje pode não ser necessariamente assim, só depende muito do que a criança é capaz de fazer com os smartphones em mãos. Redes sociais só podem ser usadas para quem possui faixa etária entre 13 e 14 anos, como é o caso do Facebook e Instagram. Até então não inventaram redes sociais para crianças, quem sabe os desenvolvedores começam a focar nisso?

Mesmo assim, caso surja uma rede social focada em crianças, é bem capaz de ter poucos recursos e serem usada apenas para melhorar o aprendizado, ou conversar com pessoas conhecidas? Quem sabe?

Mesmo se os desenvolvedores dos aplicativos do android e ios começarem a focar no público infantil, os pais devem ficar atentos com o uso excessivo das redes sociais para crianças, fica a reflexão!

 

   Leonardo Ricardo

10602760_800769779973644_294558687_n